sábado, 31 de maio de 2014

Portugal - Montijo - Rotunda das portas da cidade


A rotunda das portas da cidade situa-se junto à Circular Externa do Montijo. 
No seu interior, possui uma escultura monumental (14metros de altura), em betão branco da autoria do arquitecto Nuno Teotónio Pereira e da escultora Irene Buarque.
Trata-se de um pórtico que tem como referência os tradicionais arcos nas entradas das cidades. Segundo a intenção dos autores, expressa o lema “Montijo – Uma cidade de portas abertas” e pretende dar as boas vindas aos visitantes, demonstrando hospitalidade e acolhimento franco sem reservas.
Esta rotunda foi inaugurada em 14 de agosto de 2001.

Portugal - Montijo - Ermida de S. Sebastião


Portugal - Montijo - Quartel da PSP



Portugal - Montijo - Escultura "Musas das Artes"



A escultura "Musa das Artes" está localizada numa das paredes exteriores do Cine-Teatro Joaquim d’Almeida
Executada por Martins Correia e José Farinha, em 1957, é uma escultura em bronze que associa o "Talento" às "Artes".
As cinco figuras femininas representam as musas inspiradoras, cada uma delas com o seu atributo:
     - O Teatro apresenta a máscara;
     - A Poesia segura o pergaminho;
     - A Dança, dança;
     - A Música toca lira;

Portugal - Montijo - Cine-teatro Joaquim d'Almeida


Portugal - Montijo - Edificio nº 4 da rua Joaquim d'Almeida


Portugal - Montijo - Rua Joaquim d'Almeida


Portugal - Montijo - Galeria Municipal




Portugal - Montijo - Frente Ribeirinha do Montijo





Portugal - Montijo - Edifício nº 15-17 da rua Conde do paço Vieira




Portugal - Montijo - Edificio nº 18-20 da Rua Miguel Pais


Portugal - Montijo - Antiga estação fluvial



Portugal - Montijo - Moinho de maré do cais








O Moinho do Cais localiza-se na frente ribeirinha, junto ao antigo Cais das Faluas
O documento mais antigo que se conhece sobre este moinho data de 1645. Pressupõe-se que o moinho tenha sido mandado edificar pela Ordem Militar de Santiago, como atesta o lintel da porta com a representação das armas desta mesma Ordem. 
Devido ao seu estado de degradação, este moinho de maré foi recontruido e inaugurado pela Câmara do Montijo em 29 de junho de 2005. 
A reconstrução respeitou a sua tipologia e a sua funcionalidade. Assim, foram reaproveitadas as cantarias originais, 
O edifício é constituído por um piso de planta rectangular com seis moendas e uma ampla caldeira, terá sido um dos maiores equipamentos moageiros de Aldeia Galega,
A laboração do moinho decorre no período de baixa-mar, o processo é iniciado a cada ciclo de marés. As marés regulavam o funcionamento do moinho e as horas de trabalho do moleiro, nos períodos de inactividade, o moleiro, dedicava-se às tarefas de limpeza e manutenção do moinho.
Assim, quando a maré sobe, a água entra pela comporta para a caldeira do moinho, enchendo-a; quando a maré começa a vazar, a comporta é fechada, mantendo o nível de água atingido na maré-alta.
O funcionamento do moinho inicia-se quando a maré diminui a um nível abaixo do rodízio, a diferença entre o nível da água na caldeira e do rio faz funcionar o moinho através da força da gravidade;

Portugal - Montijo - Estuário do rio Tejo








Portugal - Montijo - Armazéns do Cais das faluas



Portugal - Montijo - Circo


Portugal - Montijo - Cais das faluas







Portugal - Montijo - Monumento de homenagem ao Bombeiro




A escultura de homenagem ao bombeiro localiza-se junto aos Paços do Concelho do Montijo, no mesmo local, onde onde existiu o primitivo quartel de bombeiros.
É da autoria do escultor António Vidigal
A escultura em bronze, de aproximadamente 3 metros de altura, apresenta um bombeiro, de traços clássicos, onde o escultor pretende evidenciar os elementos que dão origem à sua acção: ar, terra e fogo.
Foi inaugurada a 29 de junho de 2001.

Portugal - Montijo - Câmara Municipal